Taxa Metabólica

Nos dias atuais já está clara a ação positiva do exercício físico sobre o emagrecimento e o aumento da ação metabólica no nosso corpo, mas o que realmente ocorre?

Nosso corpo trabalha o tempo todo, 24 horas por dia, 7 dias por semana, para nos manter vivos, porém tudo que ocorre no nosso corpo funciona em forma de troca de energia, ou seja, para cada batida do coração temos um gasto energético, isso vale também para cada contração muscular, sinapse cerebral, etc. Sendo assim fica fácil perceber que estamos o tempo todo gastando energia, a velocidade com que ocorre esse gasto no nosso corpo chama-se Taxa Metabólica.

Quando estamos dormindo o corpo usa somente o necessário para sobrevivermos, que é a Taxa Metabólica Basal, porém para o controle nutricional utilizamos a Taxa Metabólica de Repouso (TMR) e de Exercício (TME). Só para citar, ao acordarmos aumenta-se a ação metabólica independente de qualquer coisa, por isso a TMR será sempre maior que a Taxa Metabólica Basal, por sua vez, a TME será sempre maior que TMR.

Para que me serve saber esses dados? A TMR é responsável por uma porcentagem muito grande do nosso gasto energético total, cerca de 60-75%, ou seja, muito da energia que gastamos durante o dia todo vem das funções básicas do nosso corpo, e apenas 15-30% vem da atividade física realizada durante o dia, os 10% restantes vem do efeito térmico da alimentação. Vale lembrar que o somamos TMR+TME para chegarmos ao gasto diário.

O exercício físico além de aumentar a Taxa Metabólica, já que é somada a TME à TMR, à longo prazo ele promove adaptações que aumentam o TMR, pois quanto mais condicionado, maior será a TMR e maior o gasto energético. Isso é conseqüência do aumento da necessidade de energia de um corpo treinado, já que o mesmo possui mais massa muscular e/ou maior transporte de oxigênio, entre outras adaptações.

Para emagrecermos temos que ter um balanço energético negativo, ou seja, gastar mais do que ingerimos, por outro lado, um atleta tem um gasto energético alto durante treinos e competições e precisa ter estoque de nutrientes suficientes para suportá-los, sendo assim é precisa saber os valores de TMR e TME para se ter maior assertividade sobre esses objetivos, eles são de grande importância no controle metabólico e alimentar de praticantes de atividade física.

Referências

Profª. Alcinira Furtado Farias METABOLISMO BASAL METABOLISMO BASAL GASTO ENERGÉTICO TOTAL - NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA – UFAM

Aspectos históricos e metodológicos da medição e estimativa da taxa metabólica basal: uma revisão da literatura - Vivian Wahrlich, Luiz Antonio dos Anjos - Cad. Saúde Pública, 2001.

Nenhum comentário.

Deixe um comentário